mão aberta | Teresa Fabião

residência de criação no CAPa – 3 a 10 Julho 2017 – estúdio 1 

 

m ã o   a b e r t a  fala de ser outro dentro da própria pele, fala de uma nova condição de vida.

Arrisca-se a trazer para a cena um tema tabu, o vírus hiv. Parte da possibilidade (real, fícticia ou imaginada) de um corpo conviver com algo que o come por dentro…

Como corporificar algo que é invisível?

A partir de prodecimentos metafóricos que aludem à forma como este vírus age no corpo e de uma dramaturgia com base em estados corporais, o trabalho é uma espécie de kintsugi corporal, um poema dançado que leva o seu foco para a beleza que está por detrás das cicatrizes.

Este quase solo de Teresa Fabião é multiplicado pelas vozes de pessoas cujas histórias de vida passam/ passaram pela convivência com o vírus. A peça dá literalmente voz a quem por hábito não a tem – constrói-se em cima de dezenas de horas de entrevistas que a criadora realizou em busca de uma visão múltipla, pessoal mas não singularizada, capaz de abordar a complexidade desta condição.

m ã o   a b e r t a  fala de padrões e idealizações, de resiliência e consciência da própria mortalidade, de avanços e recuos, fala de abrir mão do controle.

 

Teresa Fabião criadora-intérprete e pesquisadora, nasce em 1983 no Porto. Inicia-se na dança aos 6 anos de idade. Tem um percurso multifacetado assente nos cruzamentos entre diferentes disciplinas do corpo como dança contemporânea, ballet, danças africanas e afro-brasileiras, e capoeira angola. Diplomada em ballet clássico pela Royal Academy of Dance (Intermediate/ 1989-2001), dedica-se desde cedo à dança contemporânea, formando-se com Peter Michael Dietz (DE/PT), Paula Moreno (PT), Joana Providência (PT), João Fiadeiro (PT),  Paulo Henrique (PT), Maria Ines Villasmill (VE),  Amélia Bentes (PT), Sophia Neuparth (PT), Pedro    Berdayes (BR/ ES),  Jean-Paul  Bucchieri (IT/ PT),  Tânia Carvalho (PT), Giovanni Luquini (BR/ USA), Frey, Faust (USA), Alejandro Ahmed (BR), Angel Vianna (BR), entre outros. Tem conciliado esse percurso com diversas técnicas somáticas e de consciência corporal, como Gyrokinesis, Pilates e Hatha Yoga. Formada em Gyrokinesis (Physio Pilates/Polestar Institute-2010), lecionando em variados contextos em Portugal e no Brasil. Enquanto intérprete destaca “Ilhas” (2008), de Victor Navarro com a companhia do Balé do Teatro Castro Alves; “Sorria, você está na Bahia” de Norma Santana, vencedor do Edital Yanka Rudszka (FUNCEB/SECULT-2009); e “CRU” de Giovanni Luquini (2011). Como coreógrafa, cria “transAtlântica” (2015/ work in progress), “Salvo Conduto” (2012), site-specific desenvolvido no Museu dos Biscainhos (Braga), “Sotaque Seu Toque” (2010), e “Tecitura” (2009). Realiza assistência de movimento em “CabraCega” (2013), projeto-satélite da Circolando (PT), e em “Autólise” de Thiago Enoque, vencedor do Edital Yanka Rudszka da FUNCEB/SECULT (2010).
​Entre 2008 e 2016, viveu em Salvador da Bahia (Brasil), onde terminou o doutoramento em Artes Cénicas (Universidade Federal da Bahia-UFBA/2016-Bolsa CAPES), sobre Criação em dança movida por trânsitos culturais nos entrelugares Bahia-Portugal. Completou também o Mestrado em Dança (UFBA/2011-Bolsa FAPESB), a Especialização Estudos Contemporâneos em Dança (UFBA/2008) e o Curso Profissional da Escola de Dança da FUNCEB (2008-2010), curso com forte componente de danças afro-brasileiras e populares. Licenciada em Som e Imagem pela Universidade Católica Portuguesa (2006). Desde 2007, é professora convidada da Arte Total-Centro de Educação pela Arte (Braga), estrutura apoiada pela DGArtes. De 2005 e 2008 é integrante dos grupos Semente e Djamboonda, ambos grupos de referência no meio das danças africanas em Portugal. Em 2013, foi vencedora do Edital de Mobilidade Artística e Cultural (FCBA/BAHIA) para realizar TRACES (formação para dançarinos profissionais) no Benin (África). Autora do livro Danças africanas e Interculturalidade em Portugal (2014), e de diversos artigos sobre a temática da dança e interculturalidade. https://www.teresafabiao.com/

 

 

a DeVIR é uma estrutura financiada por

Digital_PT_4C_V_FC_Cultura

Discuss - No Comments