DRLNG | Bruno Cadinha e Odete C. Ferreira

residência de criação no CAPa – 4 a 15 Setembro 2017
ensaio aberto – 14 Setembro, 19h

 

Y.

“all dressed up and nowhere to go”

 

X.

Começamos por despir o fato de corpo inteiro amarelo. Lá dentro os padrões misturam-se e o discurso transforma-se. As mãos formam poses e o corpo narra um conto de fadas – quanto mais próximo do conto estamos mais verdadeira se torna a perceção que temos de nós próprios. Rasgamos a história e filtramo-la com essa perceção – bordamos uma história invisível ao olhos do patriarcado. Procuramos um discurso teórico que suporte toda a experiência – perguntamo-nos: Quão importante são as margens de uma história estética ou de uma história do género? Em que abismo histórico ——- Que espaços —– com que intersecções —- como compomos um ativismo poético? 

 

Dramaturgia: Bruno Cadinha e Odete
Figurinos; Miguel Bonneville e Jenny LaRue
Luz e Cenografia: Odete
Movimento, Maquilhagem e Drag performance: Bruno Cadinha
Música: PREC
Apoio à Investigação: Daniel Lourenço
Produção Executiva: Rabbit Hole
 
Um projeto financiado pela Fundação GDA.

 

Odete 4 de Novembro, 1995, Porto. Em 2013 acaba o curso de Artes do Espetáculo, vertente de Interpretação da Academia Contemporânea do Espetáculo, no Porto. Tem desenvolvido as suas próprias criações (na sua maioria, performances), tornando isso o centro do seu trabalho. Apresentou os seus trabalhos no Teatro Taborda (Lisboa), 49 ZDB (Lisboa), no Teatro do Silêncio (Lisboa), no Teatro Municipal Campo Alegre (Porto), na malavoadora.porto, na CasAzul (Barcelos), no CAPC (Coimbra) e noutros espaços da cidade do Porto. Foi performer em “Cyborg Sunday , de Dinis Machado, tendo o projeto sido apresentado no WELD (Estocolmo, Suécia) , no SKOGEN (Gotemburgo, Suécia), no Chelsea Theatre (Londres) e no Teatro Municipal Rivoli (Porto).

 

Bruno Cadinha é um jovem performer que actualmente frequenta o curso PEPCC no Fórum Dança, em Lisboa, depois de se ter formado como intérprete de dança contemporânea no Balleteatro no Porto e ter feitoo curso F.O.R. Modular na Companhia Olga Roriz em Lisboa. Os seus trabalhos contêm uma panóplia de questões de género e sexuais, tendo o seu primeiro trabalho sido apresentado no Festival Feminista do Porto e no Bairro Intedente, em parceria com Telma João Santos. Como performer já participu em G.O.D, de Flávio Rodrigues e em OP.20 ATO I, de Gonçalo C. Ferreira.

 

 

 

a DeVIR é uma estrutura financiada por

Digital_PT_4C_V_FC_Cultura

Discuss - No Comments