A IMPORTÂNCIA DE SER (des)NECESSÁRIO | António Torres & Ana Jezabel

imag-antoniotorres

residência de criação no CAPa – 3 a 16 Outubro 2016 – estúdio 1 / black-box
ensaio aberto – 14 Junho – 14h30

Nós todos somos sozinhos. Precisamos fazer o luto. O tempo de luto como o tempo de “dança”. O tempo de nos encontrarmos sozinhos e apreciarmos. O luto da nossa identidade. O luto enquanto decorre a luta. Na repetição dá-se a queda do tempo; não deixando o corpo virar-se para dentro. Como que um escravo que se recurva para dentro.

coreografia, Interpretação e Construção Musical | Ana Jezabel + António Torres
desenho de Luz | Sara Garrinhas
vídeo projeção | João Leitão
figurinos | Ana Jezabel + António Torres e Catarina Morla
produção | Sara Garrinhas e Mónica Talina
fotografia | Joaquim Leal
residências Artísticas | EKA, Musibéria, O Espaço do Tempo, Teatro Viriato (Companhia Paulo Ribeiro), DeVIR/CAPA e CCVF (Centro Cultural Vila Flor).

estreia FEVEREIRO 2017 (GUIDANCE)

António Torres licenciado na Escola Superior de Dança (2014), e em Artes Performativas na ESTAL (2009). Fez ERASMUS no KONSERVATORIUM de Viena (2014). Integrou FALL, de Victor Hugo Pontes (2014), interpretou CLOUDS AFTER CRANACH, de Esther Balfe (Cia. William Forsythe) e BLUR, com Clarissa Omiecienski (em 2014). Interpreta THIS IS NOT A LOVE STORY, de Maurícia Neves (CCB, 2015) e ETERNURIDADE, de Amélia Bentes (2015). Cocriou com Ana Jezabel, OUTRO EM MIM QUE EU IGNORO (Junho 2015) e participou em A SLOW DANCE WITHOUT NAME (Abril 2016) de Jacopo Miliani, como performer. Em processo de criação de um solo para apresentação no Festival TODOS, dirigido por Madalena Victorino (SET 2016). Fez workshops com Alain Platel, Hoffesh Shechter, Jonathan Burrows, Doris Ulrich, Tânia Carvalho, Esther Balfe, Madalena Victorino, João Fiadeiro, Peter M. Dietz, Marlene M. Freitas, entre outros.

Ana Jezabel 1990, Lisboa.Com 10 anos ingressou na Escola de Dança do Conservatório Nacional. Iniciou a licenciatura na Escola Superior de Teatro e Cinema, mas decidiu mais tarde dar início aos estudos em Dança Contemporânea na Escola Superior de Dança, onde frequentou o programa ERASMUS na Fontys (Holanda) e trabalhou com Eddy Becquart, Gabriella Maiorino e Hilde Elbers. Licenciou-se em 2014. Em 2015 deu continuidade à sua formação profissional frequentando diversos workshops entre Portugal, Bélgica e Reino Unido, destacando nomes como David Zambrano, Jose Agudo, Meytal Blanaru, Rakesh Sukesh, Keren Rosenberg, Vita Osojnik, Cia Ultima Vez e Peeping Tom.Como experiência profissional participou em 2013 no festival Ao Gosto, co-criação com Duarte Valadares “Silent Mercy”.Na Cia Instável como estagiária e intérprete dançou“Free”de Gregory Maqoma no Teatro de Vila Real(2014).Já em 2015 trabalhou com Marco Ferreira interpretando um excerto da peça“Hu(r)mano”, e com a Cia Instável sendo parte do elenco da peça “Cribles” de Emmanuelle Huynh apresentada no Auditório de Serralves.Iniciou o projeto de co-criação Ana Jezabel+António Torres com a peça “OUTRO EM MIM QUE EU IGNORO”,e preparam agora a próxima peça “A IMPORTÂNCIA DE SER desNECESSÁRIO”.No último ano estagiou na Cia Paulo Ribeiro onde faz parte do elenco da peça “A FESTA (da insignificância)” e “Ceci n’ést pas un film – dueto para maçã e ovo”.Encontra-se em processo de criação de um solo no contexto do festival TODOS.

 

a DeVIR é uma estrutura financiada por

Digital_PT_4C_V_FC_Cultura

Discuss - No Comments